19 de ago de 2010

Katshushika HOKUSAI, é o cara!
















Considerando a época dessas ilustras, convenhamos! 
Esta acima (A Grande Onda de Kanagawa, da série As 36 Vistas do Fujii Yama, Fugaku Sanjū-Rokkei, 1823), em minha opinião, trata-se da mais espetacular obra-de-arte de todos os tempos.
Não me refiro à "obra-de-arte japonesa", mas obra-de-arte mundial, mesmo.

Afetados por um eurocentrismo infantil, frequentemente ficamos cegos diante do sublime.
Hokusai, com esse provável Tsunami no alto-mar do Oceano Pacífico (Tsu=porto, Nami+onda), tendo o distante Fujii Yama ao fundo, entrecortado sob um céu enegrecido, diz ao que veio.
Mas o título adicional real, OkiNami, também nos informa tratar-se de uma "onda grande", talvez e não necessariamente, um tsunami, do qual, com muita porpriedade, só é percebido à praia... Daí o termo "tsu" (porto).

Notar a sutileza das espumas, fantasma redivivo, a borrasca inclemente na superfície dramática do mar bravío, a onda gigante prestes à engolir dois barcos pesqueiros, garras brancas-azuis da morte, recurvadas e reproduzidos às centenas, como afiados fractais em direção às costas dos pescadores aterrorizados e firmemente atracados às frágeis embarcações costeiras.

Aliás, não é a toa que centenas de artistas gráficos e visuais em todo o mundo, se apropriam dessa cena sombría,  em suas diversas re-criações, mas com um sentido exatamente oposto, o da exuberância... Franceses tiveram contato com, olha que legal, embalagens de produtos japoneses, bem como em estadías em férias, no "oriente distante".

Como é que alguém pode reproduzir (Sōshū Chōshi, Hokusai, 1832-1834) um oceano bravío, tão preciso e "simples" assim?
À julgar pela tranquilidade do piloto á proa, de pé, trata-se de uma manobra de deslizamento sobre a onda, uma "surfada" providencial, afastando a embarcação dos ameaçadores rochedos ao fundo.
Outra canoa oceãnica idêntica, singrando em sentido contrário e bem próxima dali, parece sugerir que o local é bastante propício à pesca litorãnea do dia.

Essa cachoeira, acima quase pode-se ouvir á água escorrendo... A profunda intensidade dos azuis.... Ou esta, abaixo, com o singelo nome de "Cachoeira Onde Lin Tzu Lavou Seu Cavalo":

Delicadeza, ritmo, proporção, coerência...

O sexo, registrado como ele é: Intimidade, desejo, cumplicidade.
Qual casal que possua intimidades, não se deliciou um ao outro?
Qual mulher adulta e de bem com seu corpo, não se submeteu, passivamente?
Degradées simplesmente INIMAGINÁVEIS. Tanto no céu, quanto na terra...

A ponte, das várias que lançamos todos os dias, sobre os perigos que nos rondam...

Katshushika Hokusai, também é considerado o criador do Mangá, (MAN=humor, GA=grafismo, aproximadamente) literalmente, "caricatura" ou "desenho engraçado".
De 1814 à 1849, o artista concebeu uma coleção de 15 volumes, cujas características de traço, enfatizando o aspecto de seus ilustrados em cenas do contidiano, recebeu o nome de "Hokusai mangá" ou "desenhos engraçados de Hokusai".

Sem dúvida alguma, foi o cronista de sua época, trazendo-nos não somente aspectos amrcantes da vida urbana e rural japonesa, bem como uma estupenda técnica de xilogravura, onde as cores parecem flutuar.

"Uma Mulher Bonita".

Num mundo com tantos e tão caros softwares de renderização, Hokusai parece-se exatamente como um Deus Máximo da criação: Sua arte, exuberante e sintética, parece querer nos dizer que, desde sempre, a idéia, estará muito acima da técnica, onde esta, além de requerer conhecimento, pede simplicidade.

Se duvida disto, contemple as diversificadas produções do mestre japonês, realizadas à quase 200 anos e ainda moderna e impactantes, em plena Era Cibernética.

Finalizando, um autorretrato desse artista absolutamente origenial, contando com seus mais de 80 prolíficas primaveras japonesas...

Ele morreria, bem velhinho, dali a alguns anos, tendo produzido milhares de obras, hoje expostas em um elegante museu, que leva seu nome em Obara, Japão.

_________________________________________________________

Links:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Trinta_e_seis_vistas_do_monte_Fuji
http://pt.wikipedia.org/wiki/A_Grande_Onda_de_Kanagawa
http://www.culturajaponesa.com.br/htm/manga.html - Cristiane A. Sato

Bibliografia

  • Bayou, Hélène [2008], Hokusai, 1760-1849 : l'affolé de son art : d'Edmond de Goncourt à Norbert Lagane
  • Bibliothèque nationale de France [2008], Estampes japonaises : images d'un monde éphémère
  • Delay, Nelly [2004], L'estampe japonaise
  • Fleming, John [2006], Historia mundial del arte
  • Forrer, Matthi [1996], Hokusai
  • Guth, Christine [2009], Arte en el Japón Edo
  • Hartman Ford, Elise [2005], Frommer's Washington
  • Hillier, Jack [1970], Catalogue of the Japanese paintings and prints in the collection of Mr. & Mrs Richard P. Gale, Tomo II
  • Kobayashi, Tadashi [1997], Ukiyo-e : an introduction to Japanese woodblock prints
  • Lane, Richard [1962], L'Estampe japonaise
  • Nagata, Seiji [1999], Hokusai : Genius of the Japanese Ukiyo-e
  • Sueur-hermel, Valérie [2009], Henri Rivière : entre impressionnisme japonisme
  • Weston, Mark [2002], Giants of Japan : The Lives of Japan's Most Influential Men and Women
  •