10 de nov de 2009

"I´D RATHER GO NAKED, THEN WEAR FUR!"


- SIM, OUI, YES!!!


Aonde que griffes tais como YSL, Chanel, Dior, Levi´s, GAP, DASPÚ e Orêia Sêca Féxom Uér & afins, não conseguem se estabelecer, nem que queiram ?
Quando a mulher quer ficar núa!

Só uma Praia de Nudismo ou a Arquitetura, como testemunhas.
(E com quem ela junto estiver, é claro! )




Toda a produção industrial do mundo fashion, todas as centenas de milhões de Tállers em revistas e canais de TV e passarelas e fotógrafos e editoras e gráficas e modelos e filmes, valem NADA, ZERO, NIENTE, diante de uma mulher sublime e devastadoramente NUA.

NUAZINHA DA SILVA!


EM PÊLO!

O que vale a dica para os Habitantes do Planeta Terra:

Mesmo com tantas roupagens e equipagens, no fundo, as precisamos núas, aquecidas, disponíveis.

É assim que se formam familias bacanas e geramos filhos bacanas, prá encher esse mesmo planeta de gente bacana.

Ou pelo menos, nos divertimos um bocado, nos conhecendo com intimidade e cumplicidade.

Nota DUZENTOS ao sequenciamente da campanha "I´d Rather Go Naked Then Wear Fur"., promovida pela PETA, uma Associação de Defesa aos Animais (formerly "People For Ethical Treatment Of Animals).

Algo exatamente traduzido como:

"EU PREFIRO FICAR NÚA, À VESTIR UM CASACO DE PELES"



(Mesmo muitas mulheres tendo por sonhos sensuais, sentirem-se, núas, sob um denso casaco de peles, mulheres tropicais, inclusas.)

Mas também, do "nosso lado", sugiro uma campanha análoga:

"WE, MEN, PREFFER YOU NAKED

THEN WEAR FASHION LOOKS ! "

Bem mais elegante que uma t-shirt escrito:

"FUCK THE FASHION SYSTEM" ... ;)

Mas, tá, tudo bem, vai ?


 Descontanto o derriére mais absolutamente es-pe-ta-cu-lar da espécie humana, engastado numa espetacular Eva Mendes, MEIN GOTH!

Para que diabos, uma Segunda Pele ? 


 Algum cara aí, já conseguiu imaginar uma brasileiríssima Juliana Paes.... VESTIDA???


Deixe esse fetiche de Casaco de Peles, com as Prostitutas Caras, em fotos com réplicas "fake" baratas...


.

4 de nov de 2009

ATO MÉDICO: Pedantismo ou Vagabundagem?



Lá na minha rua, quando alguém "se achava" (mesmo que esse termo "se achando", tendo sido achado só recentemente...), dávamos o nome de V-A-G-A-B-U-N-D-O.

Mais como o argumento em sí, do que da falta de serviço literal deste mesmo Le Citoyen.

Agora, me assuntando sobre esse tal de ATO MÉDICO, me veio à lembrança essa "vagabundagem" argumentativa, como no caso de uma presunção de capacidade prescritiva, frente aos Fisioterapeutas.


Felizmente, ainda existe vida inteligente na classe biomédica, como esse BRILHANTE artigo, descontada sua finíssima ironia, prova absoluta de sua esmagadora superioridade.

Sirvam-se.

E sirvam-se, de cabeça curvas, ó mortais!


_________________________________________

"Caros senhores favoráveis ao Ato Médico,

Se o grande problema é "prescrever", por favor, preciso que me prescrevam um tratamento fisioterapêutico para um paciente de 45 anos com uma tendinopatia crônica do tendão do músculo supra-espinhoso, apresentando calcificação no tendão. Ele apresenta história ocupacional de trabalho com elevação dos membros superiores acima do nível da cabeça (é vendedor de loja de roupas).


Como é ex-jogador de voleibol, desenvolveu lesão do nervo supra-escapular, que culminou numa atrofia do músculo infra-espinhoso. Devido a distúrbios hormonais, desenvolveu osteoporose. Na avaliação, apresentou restrição da mobilidade da cápsula posterior do ombro, fraqueza dos músculos rotadores internos do úmero (grau 3), além de fraqueza de serrátil anterior e trapézio fibras inferiores (graus 4 para os dois músculos). 


A articulação esterno-clavicular também tem sua mobilidade diminuída. O que devo fazer, Dr.? Como posso fazer para restaurar a mobilidade da articulação? O que é mais indicado: mobilização articular ou alongamento? No caso de ser mobilização, que grau devo utilizar? No caso de ser alongamento, é preferível o alongamento ser estático ou balístico? Ou seria melhor utilizar de contração-relaxamento? Qual o tempo adequado de manutenção do alongamento? Ou será que é tudo contra-inidcado, devido à osteoporose?

Com relação ao fortalecimento dos rotadores internos do úmero, qual exercício seria mais indicado para fortalecer o músculo sub-escapular, importante na estabilização dinâmica da articulação gleno-umeral? Devo usar thera-band, halteres, resistência manual ou simplesmente realizar exercícios ativos livres?


Com relação ao serrátil anterior qual exercício seria mais indicado? Push-ups? Protração resistida? Exercícios ativos apenas, simulando atividades funcionais e procurando evitar movimentos escapulares anormais? Tudo isso? Nada disso? E se ele utilizar de compensações para a realização dos exercícios, como devo proceder?


Com relação ao trapézio inferior, é melhor fazer o exercício contra ou a favor da gravidade? Devo ou não utilizar de movimentos ativo-assistidos? Qual o melhor exercício? 


Existe tal exercício?

No caso da restrição da articulação esterno-clavicular, é necessário corrigir essa alteração de mobilidade? Se for, é possível corrigí-la? Como proceder. Tem contra-indicações ou precauções? Não podemos esquecer de tratar também o tecido lesado (tendão do supra-espinhoso). Ele apresenta dor moderada ao elevar o membro superior D acima de 90 graus, que diminui a praticamente zero ao abaixar o braço. 


É necessára analgesia? Se for, que forma TENS? Qual a modulação (frequência, comprimento de onda, duração e intensidade)? Ou será que crioterapia é melhor? Em qual forma de aplicação? Por quanto tempo? Ou será que nenhuma analgesia é necessária?

O que posso fazer para estimular o reparo do tendão? US (quantos MHz? Quantos W/cm2? por quanto tempo? Onde aplicar?), Laser (qual a intensidade? duração? tem contra-indicações?), exercícios (excêntricos, concêntricos, isométricos, resisitidos, livres? quantas séries e repetições? Qual o intervalo entre séries? Quantos RM? Devo fazer todos os dias ou não? É contra-indicado exercício?). Como posso fazer um  xercício para supra-espinhoso?

Por favor, repassem essa mensagem com urgência para todos os médicos com competência para me ajudar, pois estou com o paciente afastado do trabalho por invalidez e continuo aguardando a "prescrição médica da fisioterapia", já que sem a "prescrição médica", segundo o ato médico, não posso fazer nada e nós todos os brasileiros, inclusive os médicos estamos pagando para ele não trabalhar. 


Não deixemos esse afastametno virar aposentadoria!

Concluindo: Sim ao ato médico, desde que os médicos estudem na faculdade todo o conteúdo que outras 13 profissões da área de saúde têm em seu currículo.


Marco Tulio Saldanha dos Anjos
Fisioterapeuta

CREFITO-4   51246-F





.

Obrigado ao fisioterapeuta, o inteligentíssimo sr. Marco Tulio Saldanha dos Anjos, o qual, mesmo nunca tendo-o visto mais gordo (e tendo a absoluta certeza que morrerei, sem conhecê-lo), demonstra que o surrupiar do que é "do outro", corporativamente sustentado por poucos médicos e estranhamente silenciado pela maioria deles, infelizmente requer um "chega prá lá".

Como este.


_____
PS: Como o meu 8º leitor, o Sr. A. Nônimo bem sugeriu, o argumento dos Sr. Marco Tulio Saldanha dos Anjos seria um "absurdo", pois "claro que as coisas não funcionam assim".

Sei.


Concordo com o Sr. Nônimo. 

Assim como concordo com o absurdo que está o Ato Médico, de acordo com a proposição da lei do mesmo.

Quer votar?

http://www.senado.gov.br/sf/senado/centralderelacionamento/sepop/?page=enquete_ant