30 de nov de 2007

MAQUIMANÉ, BANDÊRINGLEZA, QUINADA!


... A UNION JACK, NOS PASSEIOS DA PRAÇA CENTRAL ?

Voltou à baila na sempre e justificavelmente orgulhosíssima Pequena
Londres
a tal circunscrição da Union Jack, a portentosa bandeira
tripartite do Reino Unido, aquele mesmo que, nos estertôres do séc.
XIX gabava-se de ´ter o sol jamais se pondo sobre as terras de seu
vasto império´, quem diria, reproduzida no design dos passeios da
Praça Cívica, defronte á uma indefectível filial das indefectíveis Casas
Pernambucanas ( se elas se chamassem... Pern & Amb Buchannan´s House...
venderiam mais ?
) e bem ao lado da horrorosa, bizonha e vergonhosa
catedral católica, erigida em Tenda-de-Acampamento-Country
Style
(que o londrinense pronuncía ´´côntri´´) by Bunge, Aventis+Klepper Weber
Joint Ventures ou seja, um amplo Silo Graneleiro em duas águas mal
travestido de edificação supostamente... consagrada aos céus, isto,
após demolirem a elegante arquitetura Néo-Gótica anterior, sobrinha
dileta da Catedral da Sé, quem lá esteve sob suas naves, manja... e
nem tem que ser um pedante religioso prá se perceber a qualidade
metafísica daquela edificação (a da Sé, por favor, não a de Londrina).

Esse tema é treta velha: O professor de Arquitetura na UEL e Doutor
( doutor-doutor meeesmo, não esses médicos, advogados e engenheiros de quinta
categoria, de saltos-altos e se autoproclamando dotôres sempre que possível, dire-
tamente proporcionais à cultura da platéia
) em Urbanismo Humberto Tetsuya
Yamaki da UEL já havia alertado, principalmente à imprensa, dos
equívocos dessa analogia lá se vão anos, lembrando-nos que a prática
nunca foi inglêsa, muito menos uma homenagem da filha de Londres
em se tratando dos designs das Praças, dos Arruamentos & Afins.

De fato, se reservarmos um quadrilátero em qualquer área central e
se chamarmos alí de ´praça´, abandonando-a à própria sorte ( nada
que nossas prefeituras não tem feito tão bem...), seus usuários irão
trilhar caminhos que em tudo lembraria a tal bandeira, com o um ´´+´´
sobreposto á um ´´x´´, só faltando os tons em vermelho-branco-azul,
na verdade, a conjunção empilhada de três signos ancestrais, numa
verdadeira Salada-Russa Semiótica do Design Gráfico,
esmagando
à fórceps num único monograma a 1.) Cruz de São Jorge da ´matriz´
Brittish; 2.) Cruz de Santo André da ´´filial´´ escocêsa e 3.) Cruz de
São Patrício dos ´´anexados´´ irlandeses, lá se vão + de 1400 anos.

..............


Esses signos em formato de cruz nunca foram dos Evangélicos, dos
Católicos ou Símbolos da Morte ou Religações com os Céus (ou dos
HeadBangers e desavisados comedores de morcêgos, se exibidos
de ponta-cabeça ): São tão somente muuuuuuuuito antigos, sofrendo
ressignificações dados os contextos, tendo origens tanto na marcação
de um lugar ( Mapas do Tesouro, por ex. ) no Cruzamento das Rotas
Comerciais e de Trilhas conhecidas (gênese de centenas de cidades).

Não dá prá menosprezar nossos ancestrais e, SIM, desde que um de
nós percebeu-se no que hoje damos o nome de ´´criativos´´, ´´artistas´´
e quetais, os fodões do Mundo Gráfico já se manifestavam e nenhum
deles precisou esperar eclosão da Revolução Industrial, vide registros.

ORAS ! O cara que desenhou aquele bisão MAGNÍFICO em Lascaux,
cavernas situadas no sudoeste da França ? ...ELE ERA O CARA !!!!



Alguns autores acadêmicos ainda dão a entender que, em alguns dos
cantos obscuros das cavernas eram locais tidos ´´mágicos´´, onde a
escolha de um protuberância tridimensional para acomodar um Bisão,
com a cabeça desenhada exatamente numa rocha que lembrava o tal,
e mais a bruxuleante luz d´uma fogueira de carvalho, trazia tal animal
à vida, então, era um culto mágico, para os caras caçarem mais, etc.

EU NUNCA LÍ TAMANHA PÔRNO-BOBAGEM NA MINHA VIDA !
......................


Não chegamos à Lua rezando. Eletricidade não foi obtida por Monges.
A água Encanada não é produto de Freiras. O meu Notebook não foi
anunciado via Papa Clemêncio (quem?). Mohhammed não me avisou
do World Trade Center, como, aliás, me avisa de um Céu Exuberante
junto ao Altíssimo ( quão altíssimo? 200 andares ? 8.800m ? ) e, SIM,
à minha espera, com Virgens & Mel & Águas Frescas & Fontes Mil...

ORAS, se Mohammed ( a paz do altíssimo esteja com ele...) tivesse
nascido numa exuberante Amazônia, e não tivesse encarado muitos
e poderosos empresários de seu tempo, num cenário miseravelmente
árido, não teria sonhado com nada do que sonhou, sem a tal idolatría,
que o digam a nossa SUDENE, tetas nacionais da Indústria da Sêca...

O fujão não escreveria nada daquilo, pois se tem um lugar identico ao
céu da fé, fica lá na Calha Norte, com Virgens ( à garimpar... ), Méis
dos mais doces ( móle-móle ) e muita, MUITA água..., todos os três
itens, prometidos aos fiéis com bombas no peito, em periclitante falta
nos Desertos que eles mesmos criaram devorando madeiramento em
Barcos/Armas/Muralhas/Tronos/Casas/Templos/Bigas/Estátuas/Portas.

(Aliás, dá uma vontade de enxergar um Rio Amazonas no meio do Sahara, quando é
avistado bem de cima pelo Google Earth, que não é dificil imaginar-se algo insano
).

Joseph Smith nunca profetizou minha Leica M3 com 4Mp, talvez por
que estava ocupado com outras coisas mais importantes do que
minha Leica M3 com 4Mp. Mas ele nunca saberia de como minha
Leica M3 com 4Mp me é muito mais importante, do que o antes, o
imediato e o depois, sim, o HOJE. JÁ. AGORA. E também meu
AMANHÃ CEDINHO. E SÁBADO QUE VEM. E O DO-MIN-GO!

Pois o cara que acomodou o Bisão 3-D na rocha protuberante era,
ALÔ-ÔW? RÍLSTON? Era o LucasFilm do pedaço, tenha a Santa
Paciência, BatMan! Mania universal recente e rediviva essa, a de
menosprezar, diminuir, coisificar, descartar, desconsiderar assim,
o sujeito que eu mais admiro nesse mundo todo: Nós mesmos !

Está bem, alguém tinha que ir caçar, legal! Mas a-l-g-u-é-m, PQP!
desenhava.
E o fazia muito bem! Era o especialista ou, ao menos,
um cara de talento. Se contarmos o número de primatas bípedes,
nós, os Macacos mais Bonitões, Safos e Jabakwaras do pedaço
daqueles tempos bicudos, puxa vida! Vamos ver que nós eramos
mesmo os caras. Não tinhamos medo de nada. Por isso é que nós
prosperamos. Foi para/por causa disso, que descemos das árvores.

Claro que hoje em dia..., alguns desses Macacos Bonitões ainda
deseperdiçam suas existencias com as suas bundas acomodadas
numa poltrona em frente à TV, mesmo com uns R$200 mil no banco.
( CONHEÇO UM CARA ASSIM! ). Mas esses macacos ranhetas e
covardões também ficavam nas árvores, daqueles mesmo tempos.

TEMOS QUE ENTENDER, QUE NÓS NÃO SOMOS IGUAIS !

NUNCA ficaremos iguais e erram aqueles que tentam, tentaram e
tentarão o equalizar as nossas muitas diferenças (
Ainda bem! ),
vide
Pol Pot, Hitler, Lula, Castro, Bush I e II, Stalin, Evo, Tchávez....

Todos eles ( en passant... ), estranha e coincidentemente populares.

Voltando à bandeira inglesa na praça central de Londrina, t
al analogia
é forçada e serve bem mais à uma latente necessidade da Natureza
Humana ( vide as Religiões, os Cultos e as Seitas, contando-se na
casa das mais de 10.000 em todo o vasto planetinha
), de queremos
´conhecer os nossos pais´, interessante mecanismo sutil e latente que
foi brilhantemente codificado e apresentado ao mundo pelo austríaco
Sigmund Freud: Nós queremos des - esperadamente, ser alguém!

Ou pertencer à algo: Seja uma nação, um time, um bairro, um hobby,
um estado, uma região, uma religião, uma não-religião, uma língua,
um time, um condominio, rotary, um time, um sexo, comunidade no
orcute, praia, butéco e por aí e assim caminha nossa Humanidade...

: : : :

Quando queremos nos reportar à algo, normalmente, recorremos à
uma alegoria mais conhecida ou mais familiar, sempre no intuito de
ampliarmos nossa comunicação e, sendo possível, torná-la um pouco
mais eficiente, onde damos o nome deste mecanismo corriqueiro de
analogia. Analogia, lá nos dicionários, é ´´ o ponto de semelhança
entre coisas diferentes
´´. De analogías tacanhas, nosso país é tetra.

Basta recorrermos ao cargo máximo na política nacional republicana,
para aturarmos aquele que se gaba
de nunca ter sido lá muito afeito
aos livros e
aos bancos escolares, às referências ao ex-nobre football,
despoupando com uma cada vez mais impressionante frequencia e
rotatividade de taxímetro adulterado, nossas já combalidas paciências.

: : : :

A Arquitetura e o Design, não raro, sempre se valeram de analogias,
nossas casas são as árvores ressignificadas ( as cavernas j-a-m-a-i-s
corresponderam à 0,000001% dos abrigos possíveis, mas como ficaram intactas,
temos a nítida impressão que TODOS moramos nelas, no passado
), a escrita
são desenhos sofisticados de ícones da natureza ou das realidades sócio-culturais-econonômicas-psicológicas ancestrais, o carro é o
cavalo,
o supermercado a pradaria, o espaço longínquo, com suas
estrelas faiscantes, o sonho, mesmo que contemplemos o passado
delas, a luz nem mais existindo, apenas uma fotografia, desbotando...

Porém, com tanta história recente carecendo de muito resgate e de
maior apuração (inclusive nos ligando à insuspeita e discretíssima
Birigui no interior paulista, como um dos vetores iniciais de nossas
colonizações
), equiparar o desenho dos passeios da aludida praça
central de Londrina à bandeira inglêsa soa por demais juvenil, para
não afirmarmos desinformado, quase um deslumbramento caipira.

Ou talvez apenas necessidade
pura e simples de emoções baratas.

.

20 de ago de 2007

Minox DCC Digital Classic Camera Leica M3


Minox DCC Digital Classic Camera Leica M3
WOAW! Foi a primeira impressão que tive, ao vislumbrar a surpresa que a antiga fabricante alemã havia preparado para a virada do século, ao miniaturizar a vintage Minox DCC Digital Classic Camera Leica M3 reduzida à um terço da escala, alimentada com microfilmes 16mm em película formato 8X11, revelação C-41 feita somente via Correios.

Famosa pelas spy-cams da Guerra Fria (é clichet e sempre tem um filme com cenas assim: Um cara secreto invade algum arquivo secreto n´alguma edificação secreta intransponível -ou quase- e saca do bolso secreto interno do paletó uma secreta Minox, fotografando -ARRÁáH!- plantas secretas! ) a Minox, na contra-mão do mundo digital, lançou com enorme sucesso esses nano-mimos do design, verdadeiro fetiche, digamos, quase-erótico, verificável entre 9 de 10 bons fotógrafos.

A Leica M III propriamente dita, a de filmes 35mm, veio ao mundo em 1954, tendo sido produzidas mais de 200.000 unidades até a última camera alemã entregue em 1968 e o ´grande segredo´ da sua quase incompreensível limpidez nas suas lentes polidas à mão tem berço e... nem é tão secreto assim: O seu designer, Ernst Leitz, prosperou fabricando microscópios, daí tendo surgida a lenda e criado-se o mito de seu impressionante DNA ÓPTICO, algo bem próximo do infalível.

WOAW! This was my first organic response/impressions when I realized a bit more about this big surprise from the old german factory built, to comemorate it is entries on XXI Century, miniaturizing the famous Leica M3 35mm Vintage about 1/3 of the scale. The first Minox succesfully miniaturzation works with the famous 8X11 films, also knowed as "half 16mm" cinema film. In fact, the 8X11, largely used on the pré-war Fit subminiature cameras, is a 16mm cutted in the middle, without the tracks. On Fit cameras, the film is curled as a diploma.

Minox is much more known as a SPY-CAMS manufacturer. On Cold War times, in real life or in dozen movies about it, ten in ten spy personnel invading some secret plant, carving som e secret file, inside a secret building, getting out the pocket a secret cam to take tpictures of a.. SECRET PLAN! The geraman manufacturer, against the next big world digital tide, launch this nano fetichist jewell, almost erotic, to Connaiseurs, not the whole public.

The Leica M-3 itself, the one wich works with "classical" 35mm film, come in this world in 1954 and 200,000 units of them was made till the last one in 1968. The "Secret Sauce" from it is almost unspeakeable and in a mist of mystery cleaness about his hand polished lenses has an answer and, if you know much more about the factory, it is not a so secret thing, watch out: His designer, Herr Ernst Leitz, it becomes healthy as a industrious man buildiong.. MICROSCOPES! It is from this statement tha the Leica legend born, wich explain the luminosity of it is glasses.

HEY! Credits all of mine, please, I will send you my bank account number to you, nice guy, make this... ;)


Ah! Por sinal, seja decente uma vez na vida, íntegro, honesto, ético e bacana: Agora voce tem o argumento, preciso como um míssil alemão, do por quê do mito Leica: É que ela nasceu muito mais como sendo um instrumento científico, do que uma câmera fotográfica. Créditos? Aqui: LondonCallingz. Minha C/C? Envio dados breve... :D


Sensualidades reprimidas à parte entre comuns mortais, Sebastião Salgado registra os seus impactantes ensaios com uma, original.

The world famous brazilian photographer, Mr. Sebastiao Salgado carry a lot of Leicas inside his luggage.



O velho mestre Henri Cartier-Bresson esmerilhou as poucas de suas Leicas ao limite, consta que a sua camera predileta, ainda (r)existe.

The creator of the "Decisive Moment" concept, Monsieur Henry-Cartier Bresson is a Leica devorater, using a dozen of them in his life as a unique photographer.


Pressentindo a ameaça do iminente tsunami digital, a fábrica, situada ao norte de Frankfurt e próxima de Bonn, surpreende mais uma vez o mundo dos escribas da luz, anunciando a mesmíssima miniatura da sua DCC Leica M3, agora em pixels, modestos 1.0Mb encontrados em muitos fones celulares mas convenhamos: Uma Leica...É uma Leica !


Evidentemente, se o que o fotógrafo procura é um equipamento refinado, não será essa miniatura lindíssima e sedutora que vai atender suas necessidades (para isto a Leica -não a Minox- tem a excelente V-LUX1 e seus pornográficos 10Mb com lentes de 14 elementos em 10 grupos, límpidas de fazer chorar), pois o fetiche de colecionável ou só adquirível supera a razão, em busca da emoção.

Pois o melhor, dos muuuitos press-releases que eu já lí por aí para o lançamento de um equipamento qualquer, é a definição de fábrica, do que vem á ser uma Leica M3 dessas: UM NOTEBOOK DIGITAL!

Nós brasileiros, quando pronunciamos ´notebook´, o fazemos com uma certa... hmmm, pompa e circunstância, quase como algo que nos diferencia da escumalha-padrão ou a.) por termos um ou b.) ao menos sabermos do que se trata uma néotraquitana informática dessas.

Notebook, caros mortaes, trata-se de C-A-D-E-R-N-O em inglês, isso mesmo! Livro de notas e, o que a MINOX conseguiu com esse fetiche, foi justamente alimentar os consumidores ( e aos fazedores de imagens ) com um gadget à altura (talvez num nível ainda mais elevado), onde menos é mais: Nada de tralhas adicionais, às quais, se existentes, voce as usaria uns 10%, se muito, lembre-se do seu PC e do desktop aí do dia-a-dia, entulhado com inutilidades às centenas...

Feellings about the digital tsunami eclodiong in the world beaches of photo, the factory at north of Frankfurt an near Bonn, announces one more time to the light scribers of the World the same subminiature camera, but now, whearing Pixel stuffs... Yes, only and poor 1.0 Mp, most cell phones are strongger, but a Leica... IS a Leica!

Of course, if the photographer wants refinement and wants a work tool, this seductive
subminiature DO NOT works. To fit this, Leica itself ( not Minox ) built the powerfull 10Mp V-LUX1 Camera equipped with pornographic 14 gang-bang elements in 10 Lenses Groups, you feel reazons to starts to cry about it. For instance, on Minox Gadget, the main reason is showed in capital letters on the motto of the miniature: A DIGITAL NOTEBOOK, indeed.OK, just to make silly justice on this: a NANO-SUB notebook... ;)


Nada de cartões Sandisk, sem Flash (OK: Eles tem um bem legal, das antigas, redondinho como nas Rolleiflex dos jornalistas que usavam chapéu com um cartão escrito PRESS enfiado no sutache...), foco em duas posições (Meio Perto e Bem Longe o que, convenhamos, não tem erro...), paralaxe dos Sete Infernos, onde só lá pela quinquagésima oitava foto voce aprende a ver o que está no visor pela mini-ótica, deslocada à extrema esquerda quase saltando fora do case em pouco mais de 3mm de diâmetro, menor que muitas fechaduras.

A(s) lente(s) equivale(m) ao bom e velho formato próximo ao do olho humano, descoberto pelos japoneses: 48mm; Abertura em f:2.8; Armazena 99 imagens em 24bits com 2048x1536 pixels e, o mais incrível: Quem ´lê´ a cena enquadrada não é um sensor de bits, mas sim um grupo único de 5 elementos óticos fixos, usinadas com vidro polido à boné: ArRÁh! UMA CÂMERA-CÂMERA DE VERDADE!

A minha veio equipada com mais-que-suficientes 4.0 Mp, permite mini-posters de 350mm de largura, coisa que nunca vou imprimir -acho- pelos próximos 50 anos. Para isto, tenho minha Canon AE-1 carregados com Ektachrome, macacos me mordam! (como é isso em inglês? Como fica uma mordida dessas, depois de feita pelos tais?)

The M3 camera comes with zero/nothing/niet/nada features: There are NO cards. NO lcd screen on back, but a two digi counter ( I wonderer: FOR WHAT someone wants to see what his gets... IF WAS HIM ITSELF WHOSE MADE IT THE CLICK? ). NO strap. NO leather case. NO flash. ( Ok, it has one, a vintage old pressman like, chromed parabollic Rolleiflex style, with, yes, nano hot shoe, but, come on... ); And you will need the first 30 or maybe 50 photos to find the correct position of the lenses, to compesate a little and delicious parallaxis, the difference that exists in the image that enter the lenses, compared with the almost pinhole visor at top left on the back of the camera. The lenses is simmilar to the human eye curvature (thanks to the japaneses of Canon), yes, is 48mm with f:2.8 aperture ! 99 (ninety-nine!) 24bits images in 2048x1536 pixels can be containnered inside it and the most uncroyable: ALL IMAGES ARE READ BY GLASS! Yes, it lenses have a solely group of 05 fixed elements, at least, a cemera-camera in real !

The little jewell of mine comes with ENOUGH 4.0Mp and run printed posters 350mm high later at the photo lab, but for this prints, I used my Canon AE-1 35mm "classic"



Assanhado que só vendo, armei-me de Paquímetro, Couro Camurça, Estilete com lâmina nova, Régua de aço e elaborei um case Classudo & Único, inspirado no da Canon AE-1, vestiu como uma luva, quem diria, eu, de seleiro! ...Tá legal: Ficou torto num das arestas, mas ainda ficou Classudão. Tem vaciladas em cola-de-contato, na base. Mas é Único, vai. Cortei meio ruim onde caberia o display do Counter View e botão ON. Mas, ó! Meu case ficou BEM bacana, EU JURO !

Essa mesma Minox DCC Digital Classic Camera Leica M3 já está sendo fabricada à 5.0Mp com telinha colorida de LCD atrás, prá mim, uma bobagem sem tamanho da era digital: É como curtir núpcias na Limousine, antes do Casório, mas com essa escumalha desesperada em satisfação imediata, deslumbrada quais bons e sempre irredutíveis caipiras... talvez valha o relativamente pouco e baixo investimento.

Coisa aí de uns R$600. Devo encomendar mais uma, em muito breve;
Serve como WebCam à 320x240@10fps, o dia que eu souber configurá-la;
L
evo-a até ao Cinema, mas acho que preciso me tocar duns tróços... ;)

Na sequência, algumas provas de visão da criança, sem passar pelo
Photoshop (
caberia uma esquentadinha nelas):
EU RICOMÊINDU !

Inspired a lot, happy as a child just before crush the beauty squared can package out, I take my Canon AE-1 Leather case, to serves as a model... Than,m with a paquimeter, take notes about every little dimension of this Litle Jewell... and, yes, like an authentic Leatherman, starts to cut nobuk soft leather to make my own case! FITS LIKE A GLOVE! Uh... OK, drops of glue slit out here and there. But looks Classy! And... well, i cut a piece out of line, here and there... But looks Noble! And... uh... The duo-digi counter, is almost covered by a lack of precisement there, in the hoke, but... C´MON, MY CASE IS COOL, I SWARE !... ;)

This same gadget exists also at 5.0Mp and, yes, with everywhere LCD backscreen, for me, the most sully and stupid thing on the universe of digital photography. People that I know, including myself, KNOWS what is going on, when a cemara is the main tooll in that optic moments... LCD´s was like make sex on the Limmo, after be married with a lovely gal... But in a Fast Foof society like this... Well, do not worry about it...

It costs about U$300; I will by another one for me, WITHOUT the LCD, Yup? Serves as a WebCam with 320x240@10fps, in the day that I wonderer how to configure it ( I will NEVER use this as a webcam...) I bring it EVERYWHERE, even at the Movie Theaters! (Ok, I need some hints about this odd behaviour).

On next shots, ( and in all others images taken here and in most photos at the BLOGSPOT´s links at right ) ýou will see what this diabolic seductive sexiest nano gadget can do, to an eye wich like to see the surrounded Worls of an ordinnary brazilian person like me.

HOPE YOU ENJOY IT!










COPYRIGHT: Christian Steagall-Condé

.
.

24 de jul de 2007

TAM VÔO JJ 3054 AIRBUS A320 POA/CGN


TAM VÔO 3054
( TAM FLIGHT JJ 3054 POA CGN AIRBUS A320 PLANE CRASH on 07/16/2007: Thrust reverser ? )


REVERSOR DE TURBINA DO A320. Como Funciona? À julgar pelo quase pleno entendimento de um tsunami de letrinhas no código acima significam, já estamos em pleno Séc.XXI, mas com todo esse aero-jargão em voga nesses dias, não pude evitar um PQP !!! Explodiu um avião dos GRAAANDES em Congonhas !

Em que pese o bizarro tráfego de informações especulativas após um incidente trágico desses (normal e saudável pois ficamos TODOS sedentos de informação), eis que o ator principal de uma tragédia encenada dez anos atrás com 99 mortos na queda de um FOKKER 100 da TAM em 1996, decolando do mesmíssimo Congonhas, é sugerido no hall de suspeitas: REVERSOR DA TURBINA.

Pensei bizarrias outras: Os quase 200 mortos são ´anônimos´, o que não significa que devemos atenuar a tragédia. Se um ´famoso´ morresse, como a população e imprensa encarariam o fato?
Mamonas Assassinas Revival ?
E por quê, MEU DEUS, os quase 200 assentos não podem estar LOTADOS de políticos conhecidos ? Ou cair no Congresso ? De todo modo, eu choraria pela perda da Tripulação... Voltando ao tema:

O que é esse tal de Reversor da Turbina e como FUNCIONA um Reversor ?

Em inglês, o nome é thrust reverser e, no evitar das dúvidas que envolvem esse dispositivo, seguem dois infográficos, envolvendo também o fabricante das turbinas do FOKKER 100 ( Rolls-Royce TAI650 ) e do AIRBUS A320 do Vôo 3054 ( IAE V2500, joint venture da Pratt-Whitney com outras grandes aviônicas do ramo, como a General Electric ), ampliando o conhecimento específico dentro deste tema, no últimos dias, controverso.

Logo mais abaixo, apresento-lhe o Reversor da Turbina do FOKKER 100, lembrando que o ar é um fluído, assim como a água, então, no design deste dispositivo, a turbina inglesa utilizada pela fábrica holandesa patenteou um curioso sistema de ´pétalas´, mais ou menos como quando colocamos uma de nossas mãos prá fora de um carro em alta velocidade, onde sentindo a resistência ( e a existência do invisível! ) do chamado ´vento´.

Há dez anos, essas Duas Pétalas dispararam e abriram subitamente em pleno vôo sem serem solicitadas, disparando alarmes na cabine logo após o recolhimento do trem-de-pouso do FOKKER 100 Vôo 402 da TAM ( Fokker 100 Flight 402 crash down near CGN in 1996: Thrust reverser deployed after departure ), descontrolando-o e derrubando o aparelho sem a menor chance de comando possível, uma vez que o reversor da turbina funcionou criminosamente durante a primeira, da segunda mais crítica das manobras aéreas: A Decolagem.

A segunda das manobras aéreas e a primeira mais crítica? O Pouso.



REVERSOR DA TURBINA DO FOKKER 100
A turbina TAI650 feita pela Rolls-Royce fica acima da
asa, na linha das janelas,
próxima ao início da área do leme na
cauda, instalada em dupla na fuselagem
e nesse sistema, 100% do fluxo vindo de dentro das turbinas é redirecionado.

CLIQUE NA IMAGEM ou ANALISE ESTE INFOGRÁFICO NO ORIGINAL EM:
http://www.coroflot.com/public/individual_file.asp?from_url=true&portfolio
_id=592078&individual_id=117258&sort_by=1&


Logo mais abaixo, eis o Reversor da Turbina do A320 , a V2500 feita pela IAE, usando a comparação anterior com a água (o ar é um fluído), no design deste equipamento a turbina norte-americana instalada pela montadora francesa patenteou um sistema de válvulas, mais ou menos como são as comportas de nossas hidrelétricas, desviando o fluxo em outra direção.

Essas ´comportas em miniatura´ servem auxiliarmente como são nossos freios-de-mão num carro, podendo até mesmo movimentar as 27 toneladas da aeronave em marcha-á-ré num taxiamento feito ao nível do solo, manobra terminantemente proibida nos manuais da Airbus.

De todo modo, a tragédia em São Paulo parece -até o momento- estar ligada mais às condições físicas da pista e da meteorologia dramática de uma região sub-tropical no instante do pouso e não ao reversor da turbina, o tal de, agora voce já sabe, Thrust Reverser.

Pensando das multiplicidades, os ferroviários das antigas tinham um ditado sinistro: ´´Acidentes sempre vem em três´´. Profunda sabedoria, sem computador algum.

No mais, o A320 prefixo PR-MBK sinistrado estava´pinado´ no jargão dos aeronautas ou seja, voando com o reversor da turbina lacrado, procedimento considerado normal pela montadora multinacional com sede francesa, mas, especulando, bem que fez falta.

E tem mais: o apelido de Congonhas entre pilotos é de PORTA-AVIÕES: Fica bem alto acima do nível do ´´chão´´, a Pista é bem curta, quando chove o Deck fica escorragadio e é rodeado por um MAR de prédinhos, casas apertadas sem recuo, gente e tráfego urbano pesado, impensáveis em sua inauguração, fruto da falta de planejamento de décadas.

Como informação sempre é bom, confira as diferenças de uma, das mais de 140.000 peças de um monstrão desses, dá até prá voce discutir mais o assunto REVERSOR DA TURBINA ( Thrust reverser A320 ) com seus conhecidos, confira:



REVERSOR DA TURBINA DO AIRBUS A320
A turbina V2500 feita pela IAE fica aparafusada abaixo da
linha da asa
e funciona como num secador de cabelos que desviasse o sôpro mas,
nesse design, parte do fluxo segue por trás, sem desviar pelo reversor.


CONFIRA ESTE INFOGRÁFICO NO ORIGINAL EM:
http://www.coroflot.com/public/individual_file.asp?from_url=true&portfolio
_id=592080&individual_id=117258&sort_by=1&
_______________________________________________________________________________________

Airbus A320 thrust reverser
TAM FLIGHT JJ 3054 POA CGN PLANE CRASH on 07/16/2007
_______________________________________________________________________________________

UMA CURIOSIDADE: ASSISTIDA POR MEIO MUNDO, O POUSO DE UM AVIÃO
DA JETBLUE AIRLINES, NO AEROPORTO DE LOS ANGELES, ONDE O TREM-DE-
POUSO DIANTEIRO FICOU DESALINHADO E COMPLETAMENTE FORA DO EIXO,
O EQUIPAMENTO TAMBÉM É UM AIRBUS A320, IDÊNTICO AO PR-MBK VÔO 3054 :


FAÍSCAS SAINDO DO TREM-DE-POUSO DESALINHADO NO POUSO EM
LAX DO VÔO 292 DA JETBLUE AIRLINES; ESTA EMPRESA OPERA 286
VÔOS/DD E POSSUI CÊRCA DE 81 AERONAVES DO TIPO AIRBUS A320.


AIRBUS A330: 600 deles, voando pelo planeta Terra

O A330 é bastante similar à um equipamento A320, pois comunga da mesma concepção, mas embarca o dobro de passageiros (150...x...293 assentos) e com o triplo de peso (43...x...120 Toneladas).

A diferença crucial entre ambos, reside nas suas duas turbinas CF6-80E do A330-200 bem mais potentes, concebidas pela divisão aeronáutica da General Electric.

Essa nova configuração, permite às companhias acomodar adicionalmente, mais 14 passageiros e suas respectivas bagagens à bordo, ao custo médio de U$800, são mais U$11.200 por vôo, numa ponte aérea Rio-Paris, por exemplo.

São propulsores mais econômicos, o que permite que seus imensos tanques nas asas com 60m de envergadura, sejam abastecidos com menos gasolina, tornando a operacionalização completa do custo da aeronave mais modesta, comparando ao peso total de serviço, que um avião precisa para voar em segurança.

Em tese, decolando com menos combustível, ele fica mais leve e voa bem melhor, análogo em se viajar com um automóvel com menos "bagagem" à bordo, porém com o total de passageiros, diluindo o custo pelo maior número de bilhetes vendidos no vôo, de onde advém, em suma, o lucroi das empresas de aviação.

Tanta tecnologia, e ainde temos as mesmíssimas operacionalizações das ferrovias: A venda de uma cadeira, para o seu usufruto pessoal, durante a duração do trajeto, seja para onde for...



AF 447 da Air France A330-200 F-GZCP

2 de jun de 2007

OBRA: ARQUITETURA ou CONSTRUÇÃO?


A Arquitetura Religiosa constitui em todo o mundo num dos mais formidáveis ícones, estruturas terrenas concretas construídas pelo saber e mãos da humanidade, com vistas às coisas lá dos céus, já tendo sido por séculos seguidos um ofício considerado sagrado, ocupação para iniciados dentro de um longo e secreto aprendizado, base até mesmo da maçonaria (cujos ícones são ferramentas de projeto) uma vez que, por princípio e por direito, deveriam essas mesmas edificações servir ao propósito sagrado do entreato de um religamento (ou da tentativa de) com outras dimensões, comportamento mais ou menos universal, mas nem por isso aceitável em si mesmo, ato que vem do original em latim ´´religgiare´´ (religião), de nós, pequeninos e insignificantes humanos, tentando construir pontes conectadas ao grandioso, com o além, com o incomensurável, sempre numa relação de escala, aliás, como tudo que é relacionado nessa vida.

Ocorre que, em pleno epicentro da Terra Vermelha, desde que éramos curiosos estudantes na UEL, víamos nessa Catedral como um diferenciado exemplar do mais raro, horrososo, brutal, bizarro e bisonho de todos os pseudo-edifícios religiosos do planeta jamais construído, onde sentenciei à época a classificação sumária e analógica do agribusiness de, por ordem de contribuição:

1.) ´Grande Galpão Graneleiro´ e um amigo de sala preferiu contribuir com
2.) ´Indústria de Almas S/A´ e um outro, também afeito á técnica proferiu
3.) ´Estábulo Metálico, 2 Águas´, talvez esquecendo-se das 14 mansardas...

Pois este mesmo galpão, mal-travestido de pretensa igrejona, com o argumento de que tratar-se ia de ´´uma enorme tenda´´ em seu memorial descritivo (?), não se tratou, não se trata, nem nunca se tratará de edificação digna para o ato em que se imaginou concebido, uma vez que não se configura arquitetura: O que temos no ponto mais alto de Londrina, é tão somente uma construção, quer uma fé a consagre ou não.

Nesse sentido, favelas também o são, reproduzindo micro-cidadelas medievais orgânica e caóticamente intrincadas, onde só quem mora, entra, bastando conferir o fenômeno naquele país de sotaque carioca, em guerra civil desde os anos 70, figurando agora, quem diria, como detentora de um dos ícones patrimonias da recente e deslumbrada humanidade, graças à uma icônica estátua encarapitada nos gnaisses cristalinos que emergem junto ao mar, moldade em puro concreto armado na figura de um homem barbudo duzentas vezes a sua escala, uma persona já por volta de seus 33 anos, andrajos presumívelmente de época, erigida em elegante e inconfundível estilo Art Deco.

Por sorte, coragem, despeito ou talvez tão e somente vocação, estávamos lá nos acertando, apurando o faro e o foco, em nossas não tão ingênuas opiniões juvenis à respeito de determinadas coisas construídas, no melhor estilo

´´Ué, mas o rei não está nú?´´

Bem visto de perto, aos crentes, aos fiéis e aos congregados de toda ordem e mosaico, nem deveriam importarem-se tanto assim, à sua arquitetura: Dizem que, naquelas escrituras reconhecidas por sagradas, bastará levantarmos uma pedra, e estará sob ela o que tanto procura-se, o que configuraria, paradoxalmente, um desperdício danado de muito e bom dinheiro em tantas e tamanhas obras de construção (terrenos centrais incluídos em mais de 5.500 municípios brasileiros, com tantas almas desassistidas) em qualquer edifícação com vistas ao congregar religioso (qual seja a logomarca ou fonte tipográfica de sua assembléia, exibida á guisa de assinatura) ou então, oras, não foi bem isto o que as escrituras quiseram de fato nos escriturar.

Por outro lado, se as eclésias (reuniões, em latim) também devem servir à outros propósitos, digamos assim, menos celestiais, inclusive com um indulgente estacionamento e curiosa livraria terrenas que fariam os Vendilhões do Templo parecerem-se com o que de fato eram, camelôs, passou da hora de desarmarmos essa tal tenda, por semãntica, improvisada já quê, não somente não habitamos os grandes desertos já quê, por mais que eu tente admirá-la, não consigo sentir algo por alí, seja lá quem ou como ou que de sexo ou matéria o que eu quero sentir, for.

Talvez me falte tão e somente fé ? Frei Galvão, elevado recentemente categoria de arquiteto benemérito pelo IAB de São Paulo, deve estar envergonhado em algum lugar por aí, considerando que o limbo foi desautorizado pelo Sacro Estado do Vaticano, semana dessas.

Me desculpem os distraídos ou excessivamente crédulos, mas... se quisermos MESMO sentir a ´´centelha do especial´´ numa arquitetura consagrada, teremos que adentrar uma Catedral da Sé em São Paulo (Nave-mãe da nossa cria condenada à morte na infância) ou mesmo no Santuário de Schohenstatt, quiçá na singela Capelinha de Madeira da UEL ou em qualquer igrejinha perdida dentro de muitas das cidades do Norte deste Paraná, como tão ricamente bem documentou a Folha de Londrina em matéria do último domingo, 08/JUL/2007.

Se o bolso permitir, sugiro Chartres, Saint Paul, Duomo, Burgess, Rheims, a lista é interminável, prá não lembrarmos que até mesmo catedrais esculpidas no gelo, na pura água congelada pelos séculos, seculorum, conseguem mais e melhor efeito, pôsto o que são e prá que servem.

Mau gosto, despropósito, erro histórico, estupidez, falta de tato, deslumbramento, burrice, distração, desrespeito com o passado, vacilo.

Seja lá o que for, essa pretensa Catedral de Londrina (que ficaria o máximo se isolada no meio de um pasto no alto de uma colina rural para interessantes missas campais e casamentos ao ar livre, já que sua engenharia permite uma mudança de CEP, sem descaracterizá-la) configura uma, de nossas várias micro-parcelas duma crescente vergonha nacional, cegos de tanto revê-la, restando-nos sentar no divã de nossas existências (ou num ´´demodée´´ Confessionário) e percebermos que nada, como uma boa e velha dinamite suíssa do Sr. Alfred Nobel (sinônimo de honrosa distinção), no honrarmos de nossas existências nessa Terra com algo minimamente digno aos Céus, onde uma única janela em cúpula engastada nas aberturas laterais do antigo edifício néo-gótico alemão -miseravelmente demolido- carregava mais arte, cultura, design, trabalho e alma, enfim, ensejava a verdadeira arquitetura, do que o quarteirão inteiro desse indescritivelmente chucro galpão metálico, só faltando uma logomarca em neón da Bunge, Novartis ou Aventis, tão multinacionais quanto a matriz de suas corporações, catolicismo incluído.

Se fomos mesmo capazes de tal infâmia com o perenamente belo num recente passado, então, façamos o mesmo com o transitóriamente horroroso num futuro próximo.

Ou então, que mereçamos todos nossas incompetências, já que também poderemos ser re-conhecidos mundialmente como uma capital donde o insólito também prospera, dada a multiplicidade de estranhamentos recorrentes dos quais estamos todos sendo sujeitos ultimamente, vide arborização destruída, descontrôle populacional entre os pobres, loteamentos à esmo, placas infindáveis, trânsito descortês, ínfimos riachos morrendo, falta de lazer aos necessitados e, pasmem, arte grande sem nem patrocínios parciais, numa terra generosa que se construiu -e bem- de dentro de uma floresta antes intransponível.

Foram-se os áureos tempos de domarmos a Natureza aos nosso princípios: Século novo à frente, já mais que passou da hora, em domarmos a única e verdadeira besta ainda descontrolada:

Nós mesmos.

6 de mai de 2007

DEMISSÃO: MOMENTO CHAVE ?

Ano novo, vida nova ! Mas... já estamos em MAIO !
Quase metade do ano ! Sim, e eis que recebi uma, de
minhas ( em média ) 4 demissões ao ano. Exatamente:

Trabalhar com autonomía, requer, segundo minha
própria experiência, Coração de Aço onde circulará
Sangue de Tungstênio líquido... Requer experiência.

Então, se voce, tolinho, é daqueles que SONHA em
cozinhar seu chefe em óleo quente, SUSPIRA em
ver seu Gerente atropelado por um Scania-Vabis ou
tem um ORGASMO com o Patrão perdendo algo...

Saiba que trabalhar para vários clientes, significa,
AO FINAL DOS TRABALHOS, várias demissões,
está bem, conheço MUITA GENTE que iria, sim,
prefirir 4 demissões ao ano, do que... voce sabe.

Foi bem rápido essa, apesar de alguma bizarría,
de todo implícita. Prá começar, todo o crime tem
um motivo. Então, vamos às acusações, portanto:

1.) ``...É QUE ESTÃO CORTANDO CUSTOS´´.
Interessante. Eu tenho uma empresa também
e, quando preciso cortar custos (pois eu quero
supor que, se estou tendo gastos, tenho que
ter uma boa administração, quer eu seja uma
VW ou o Açougue do Zé lá em Quatiguá ) eu
vou planejar, antes de mais nada. as opções
bem mais legais, sem mexer no time, que é
a de ganhar mais dinheiro. RH, estratégico,
como é o caso de Docentes ? Muito melhor
é passar o facão no comando, por motivos,
óbvios: É na trincheira que a batalha ocorre.

2.) ``...ESTÁ SEM DAR AULAS PRÁTICAS´´.
Interessante, em dobro ! Eu tenho uma vaga
idéia das coisas desse mundo, mas, tanto em
Arquitetura, como na Publicidade, no Design,
na Fotografia ou na Administração de qualquer
tipo de empreendimento, Canteiros de Obras
inclusos, a prática só se torna uma praxis, se
e somente se, seus operadores souberem o
quê, prá quê, aonde, quando e principalmente
do POR QUÊ conceberem algo com propósito,
caso contrário, é uma Farsa. Ou uma Tragédia.

Tudo bem que, neste 2MIL&7, eu tenha só 02
aulas por noite, nos 2 últimos horários de uma
5a. Feira, de uma matéria chamada de Comércio
On-Line, 80% Teoria, 20% Prática. E, claro, ainda
vem a deixa: ´´Precisamos ter mais visibilidade e
seu trabalho não nos tem dado isto, entenda...´´

3.) ``...NÃO FEZ NOSSA REVISTA ELETRÔNICA´´.
Essa é das MAIS interessantes ! Revistas, QUALQUER
revista, prá voce começar a NÚMERO ZERO, salvo se
o seu planeta seja exo-galáxia, faça-me o bom, útil e
inteligente favor de reservar DINHEIRO. Coisa aí de
uns R$ 10.000,00 (Dez Mil) a edição. Ah, mas calma!
Estamos num MUNDO DIGITAL! Não temos mais os
custos de IMPRESSÃO, meu caro ! Sei, sei. Mas, só
prá eu entender... Quem vai redigir ? Quem vai, só
prá eu entender... Quem vai fotografar ? Quem, só
prá eu entender... Quem vai diuagramar ? Quem, só
prá eu entender... Quem vai corrigir ? Quem vai, só
prá eu entender... Atualizar o próximo N° e quando ?

Ah, como sou bobinho... É só prá fazermos uma, né ?
Depois as outras pegam no tranco, como um chevette...

4.) ``... E NÃO VEIO NA SEMANA DE EVENTOS´´.
Interessante ao CUBO. A semana de eventos, é uma
interrupção no Calendário Escolar, uma vez que o
terreno da casa é cedido para uma feira por 7 dias.
O fato de eu estar imobilizado num par de Muletas
Canadenses ( umas que encaixam no ante-braço )
sob proteção da lei e da medicina ( vulgarmente
conhecido por Atestado ), evidentemente que tudo
não passa de detalhes. Mas, quem vai, PASMEM...
assistem fitinhas bacanas: ``Quem Mexeu no Meu
Queijo?´, uma estimulante ação Recursos Humanos!

Tudo bem que interrompam uma ação de ensino,
em pleno desenvolvimento do Calendário... Tudo
bem que demitam uma bibliotecária, pois tinham
lá os seus mostivos e não contratam alguém à sua
altura, no núcleo estratégico de uma casa assim,
tudo bem que retirem nosso Painel para Artes do
meio da casa, para decorar á guisa de biombo a
sala de um coordenador, ´´é só por uns dias,
professor´´, me alertaram... Tudo bem que, em
6 meses planejando a BIENAL DE SP, onde ao
menos conseguimos a van da casa... viajemos
340km prá chgar na casa e ouvir ´´mas profes-
sor, NÃO te avisaram que cancelamos a viagem?´´,
tudo bem que aulas de Fotografia não tenham
o, PRÁ QUÊ, laboratório de fotografia, mas que
coisa chata, não é tudo digital, oras... Pois uma
casa que entregou sua estratégia de marketing à
moleques que sabem mexer no PC e, com seus
resultados de ZERO INSCRIÇÕES no Vestibular...

Nada mal, meus caros, de fato, n-a-d-a mal.

Lá na minha rua, chamam isto de COERÊNCIA.

15 de mar de 2007

: : PAINTBALL:GUERRA É GUERRA!



ARENA DE PAINTBALL
, VERÃO DE 2MIL&7: FORMAMOS
MEIO SEM PENSARMOS 2 EQUIPES, 6 DE CADA LADO,
´´ELES´´
, NA MALÍCIA E NA RAPIDEZ, ESCOLHERAM OS
COLETES PROTETORES PRETOS, UM APENDICE NA
VIRILHA, FEITO DO MESMO MATERIAL DO COLETE,
GERAVA PERGUNTAS QUE NÃO FORAM FEITAS ALÍ, DO
TIPO ´´POR QUE ESSA $%¨&#!? DESCE ATÉ O SACO ?´´
NOS EQUIPAMOS COM OS COLETES QUE SOBRARAM
NOS BALCÕES, NO CASO, OS VERMELHOS, TÃO VISÍVEIS,
COMO MOÇINHAS SUBINDO ESCADAS EM MINI-SAIAS SEM
CALCINHAS, AJUSTAVAMOS OS EPI´S MEIO ACABRUNHADOS.
COMO SE SOUBÉSSEMOS DE ANTEMÂO QUE ESTÁVAMOS
ENTRANDO NAQUELA BATALHA COMO CARNE DE CANHÃO,
CINTILANTES COMO PLUTÕNIO NO BREU, DEVIDO AQUELA
INDISCRETA TONALIDADE BERRANTE NO MEIO DA ARENA...
O INSTRUTOR, JUIZ, OLHEIRO E ADIDO MILITAR NOS DÁ
OS ÚLTIMOS ESPÔRROS, DE COMO DESTRAVAR NUM
BOTÃO A METRALHADORA, MUNIDA COM 25 BALAS DE
TONS BERRANTES, RÍGIDAS E PLÁSTICAS COMO AQUELES
CHICLETES CHINESES DE BLISTERS EM LINHA, PROPELIDAS
À MAIS DE 100 KM/h POR GÁS CARBÔNICO, ESTE, RECÉM
CARREGADO, COMO NUM CILINDRO DE MERGULHADORES,
ACOPLADO NA ARMA À GUISA DE EMPUNHADURA METÁLICA.
O ADIDO MILITAR NOS ENXOTA PARA UM CANTO ( PRÁ MEU
DESASSOSSÊGO, O MAIS ILUMINADO, AINDA QUE FOSSEM
CINCO DA TARDE NO HORÁRIO DE VERÃO
), NOSSOS ONTEM
SEMI-CONHECIDOS-DE-VISTA E HOJE, OS CIRCUNSTANCIAIS
INIMIGOS,
SE DESLOCAM EM DIREÇÃO OPOSTA, COMO SE
PROTEGIDOS PELA SEMI-ESCURIDÃO DE UM SALÃO COM
PARCAS LUZES INCANDESCENTES, PROPOSITALMENTE
FRACAS, VÍ-OS COMO SE DESAPARECENDO NA BRUMA OS
MALDITOS, EM SEUS COLETES PRETOS CAMUFLANDO-OS...
NOS ALINHAMOS NO FUNDO DO SALÃO AGUARDANDO
A VOZ DE COMANDO: NÃO ERAMOS MAIS OS HUMANOS
PACATOS, POR VEZES SERVÍS, GENTÍS E/OU CIDADÃOS,
QUE ESTÁVAMOS HABITUADOS A SER, A VIVER, A CRIAR.
ERAMOS HOMENS NUMA MISSÃO: ATACAR. NINGUÉM
TREINARA NADA ANTES. NINGUÉM FEZ TIRO-DE-GUERRA,
EXÉRCITO, MARINHA, AERONÁUTICA, ESCOTISMO, B.G...
APESAR DE EU TER IDO Á QUITAÚNA EM OSASCO PELO
TREM DE SUBÚRBIUO ´´...QUANDO O BRASILEIRO FOR
COMPLETAR 18 ANOS
´´, PELADO NUM FRIO DO CARALHO,
INVERNO PAULISTANO, JUNTO COM MAIS UNS 600 CARAS,
TERBLINKA E SOBIBOR PERDERIAM, DADA A INUTILIDADE.
TRATEI DE FICAR VESGO ATÉ ME DAR DOR DE CABEÇA,
UM MÉDICO VEIO, ME OLHOU NOS OLHOS, ME FEZ VIRAR,
MANDOU ABAIXAR-ME DE UMA FORMA MEIO ESQUISITA,
FIZERAM ISSO COM OS 600 CARAS, UM PESADÊLO VIVO.
SEM PENSAR, RASCUNHOU UM ´´B-2´´ NUMA ETIQUETA
NO MEU PESCOÇO, UM CARA ATRÁS, AMIGO, DISSE-ME
BAIXINHO AO SABÊ-LO ´´ÊI, CARA, LEVOU O BOI NESSA´´,
NO PECOÇO DELE, LÍ DE LONGE UM GARRAFAL ´´A-1´´...
SABÍAMOS O QUE NOS AGUARDAVA. ERA COMO SE JÁ
TVÉSSEMOS FEITO ISSO ANTES UM MILHÃO DE VEZES.
O QUÊ NOS MUDA? O QUE NOS CONFORMA E NOS EXCITA ?
O CAPACETE? A ARMA? A EQUIPE? O COLETE VERMELHO ?
A ARENA ? O INIMIGO ? O ADIDO MILITAR ? O EQUIPAMENTO?
NADA NOS MUDA !
SOMOS ASSIM, NASCEMOS ASSIM, COM ESSA FÔRMA, TEMOS
7~8 MILHÕES DE ANOS DE EVOLUÇÃO FERVILHANDO EM UMA
HÉLICE DUPLA DE DNA, RODANDO, GIRANDO, REVOLUCIONANDO.
COMO ENORMES PÁS DE UM CATA-VENTO EÓLICO, MOVIDOS
PELA HISTÓRIA DA MORTE, UMA ALMA ANTIGA, O CROCODILO
ANCESTRAL DENTRO DO HIPOTÁLAMO ROSNA, ESPREITA-SE,
SE RESIGNA DE/COM SUA NATUREZA INCOMUM E COMEÇA DE
SÚBITO À CO-OPERAR NUM NOBRE OFÍCIO: CAÇAR. MATAR.
ALGO OCORREU LÁ NO INIMIGO... OUVIMOS ALGUÉM GRITAR
UM ´´PÉRAÍ!!!´´, VINDO DAQUELAS BRUMAS ENTRICHEIRADAS
POR DETRÁS DE SACARIAS, MONTES DE FENO, CASAMATAS
FEITAS DE MADEIRIT E MDF, TAMBORES CAÍDOS POR ENTRE
BARRIS DE PETRÓLEO PROTEGIDOS POR SACOS DE AREIA,
DENTRO DE UM SALÃOZÃO OBSCURO DE 38 POR 14
METROS .

OLHEI PARA OS MEUS IGUAIS. POR UMA CIRCUNSTÂNCIA,
ERA A MINHA EQUIPE. A MINHA TROPA. EU ESTAVA COM
ELES E ELES, COMIGO. TÍNHAMOS O MESMO OBJETIVO,
MESMO SENDO TODOS APARENTES DESCONHECIDOS.

UM ENCONTRO NUMA ANTIQUADA, MAS AINDA EFICIENTE
MATILHA. DOIS DELES, NEM SEQUER FUI APRESENTADO,
RESOLVI JUNTÁ-LOS, GRITEI ALGO COMO, ´`ESCUTAQUI,
TEM ALGUM JEITO DE SE CHEGAR LÁ NA BANDEIRA DOS
CARAS, COMO É QUE NÒS VAMOS FAZER ESSE ASSALTO
?´´

TODOS FALARAM AO MESMO TEMPO, A DIVERSÃO
PODE ENTÃO COMEÇAR. PROPOMOS UMAS DEZ OU
DOZE TÁTICAS, ERAM PLANOS ESCONDIDOS PELOS
CONFINS DA MEMÓRIA, CENTENAS DE ESCONDES-
ESCONDES, BEIJOS FURTIVOS NA GATINHA DA RUA,
JANELA QUEBRADAS BEM-ESCONDIDAS, JOELHOS
TRI-ESFOLADOS, BRAÇOS QUEBRADOS, TOMBOS DE
SKATE QUANDO EXISTIAM MARCAS COMO HANG TEN,
CADDILAC WHEELS, SANTANNA, MOJAVE, FRISCO
, EM
DÚZIAS DE ESCORIAÇÕES GENERALIZADAS DESCENDO
A PRAÇA DO POR DO SOL EM CARRINHOS DE ROLIMÂ
( ROLLEMANN...) DESTROÇANDO CARNE PELO ASFALTO
RUGOSO AO PULAR UMA RAMPA DE AÇO ( COLOCADA
ESTRATÉGICAMENTE EM CIMA DA TRINCHEIRA MANDADA
CAVAR PELOS MORADORES, EMPUTECIDÍSSIMOS COM
A SÚBITA HIERARQUIZAÇÂO DA ANTES TRANQUILA RUA
DE CLASSE MÉDIA ALTA
) EM ACLIVE PARA CORAJOSOS
NO ALTO DE PINHEIROS, LUGAR BOM DE SE NAMORAR
DENTRO DO CARRO, ´DESDE QUE ARMADO´ OUVI UM DIA
DE UM FUINHA BEM BUNDA-MOLE FILHO DE UM DELEGADO.

SEM NOTARMOS, FOMOS EQUACIONANDO AQUELA BAGAÇA.

O ADIDO MILITAR GRITOU E NOS ATRACAMOS EM MERGULHOS,
COMO ANIMAIS DE RAPINA, SORRATEIROS, SILENCIOSOS, NOSSO
DOIS OLHOS PARALELOS CHECANDO DISTANCIAS, COMPUTANDO
COMO FAZEM OS FELINOS, SOMOS O TOPO DA CADEIA ALIMENTAR,
NOSSOS CORPOS EQUIPADOS COM O DESIGN DE IRMOS ADIANTE,
AVANÇAR, CHECAR, INVESTIGAR, INSPECIONAR, COMPARAR, VER,
LEMBRAR, BUSCAR, REGISTRAR, DUVIDAR, ACREDITAR, AGIR !

AVANÇAMOS RENTES AO SOLO, QUANDO DEI POR MIM, ESTAVA
COM MINHA METRALHADORA APONTADA PARA A CABEÇA DE
UM INIMIGO DISTANTE, EU O VENDO E ELE SEM ME VER, COÇEI
A MÃO NO GATILHO E ARRISQUEI UM DISPARO, À MAIS DE 30m.

NÂO SEI SE VÍ, MAS ACHO QUE A BALA FEZ UMA CURVATURA
MUITO SEM GRAÇA, E, PRÁ MINHA SURPRESA, O BLISTER DE
TINTA PINK EXPLODIU NA TESTA DE UM INIMIGO, QUE NO ATO
LEVANTOU AS MÃOS E GRITOU ´´NEUTRO!´´, CONFORME FOI
COMBINADO E NOS ENSINADO MOMENTOS ANTES. DECIDI NÃO
AVANÇAR. COMO UM ´´SNIPPER´´, VÍ-ME ENCARAPITADO POR
ENTRE OS SINOS DESTRUÍDOS DE UM CAMPANÁRIO EUROPEU,
ONDE CADA DISPARO ERA UM INIMIGO PELO CHÂO, FORA DE
COMBATE ( de fato, atingido, deve-se sair, alguém o limpa da tinta
na viseira do rosto prá poder enxergar e voce ressucita em seguida
).

BELISQUEI MAIS UM TIRO: NO PEITO. COMECEI A ME ACHAR.

QUANDO DEI POR MIM, UM MEMBRO DA MINHA EQUIPE URRAVA
AOS PULOS, AGARRANDO NA MÃO SEM A ARMA O PRECIOSO
OBJETIVO FINAL: UMA BANDEIROLA MEQUETREFE, MUITO MAIS
PARECIDA COM UM RELES PANO DE CHÃO ENTUCHADO NUMA
VARA DE PLÁSTICO, PARA A GRITARIA COLETIVA NOSSA E SILÊNCIO
´´DELES´´... AGORA, OLHANDO-NOS DE SOSLAIO, TALVEZ TRAMANDO...

DE REPENTE, PERCEBEMOS SEM NOTAR QUAL ERA A ÚNICA
FORMA DE VENCER, TÁTICAMENTE: UM BRIEFFING, ANTES DE
CADA UM DOS ASSALTOS: AGORA, COM RECEIOS DE ELES JÁ
SABEREM DE NOSSO MÉTODOS, DECIDIMOS AVANÇAR DE DOIS
EM DOIS UM COBRINDO O OUTRO: YÁZZ! BANDEIRA NAS MÃOS!

A COISA ESTAVA FICANDO MEIO ESQUISITA. SÃO 25 TIROS POR
CARGA DE METRALHADORA/HOMEM. EM DOIS DOS ASSALTOS,
TERMINEI UM DELES COM 19 BALAS E UM OUTRO? 15 BALAS!!!

SE ESTÁVAMOS GANHANDO ( e já estávamos em 4 assaltos X 0 )
E AINDA CONTAVA AS BALAS, ERA POR QUE O NEGÓCIO ERA
ESSE: NADA DE RAJADAS À ESMO, ERA MIRAR E DERRUBAR.

UMA BALA.

UM ALVO.

INVICTOS.

AGORA, A DERRADEIRA.

ERA UM TUDO-OU-NADA. ACHAMOS QUE ELES VIRIAM PRÁ CIMA,
FEITO LOUCOS, POIS SEUS ROSTOS ESTAVAM ROSNANTES, VÍ
OS INIMIGOS DE PERTO E O ODOR DELES ERA DE VINGANÇA...

NO BRIEFFING, SUGERI UMA OPERAÇÃO QUE DENOMINEI (POR
FALTA DE CRIATIVIDADE
) NO ATO DE ´´BOI-DE-PIRANHA´´. O TÍ-
TULO JÀ DIZ QUASE TUDO MAS NÃO HOUVERAM VOLUNTÁRIOS
BOVINOS PARA O INIMIGO VORAZ. ELES ESTAVAM BEM PUTOS.

COMO A CRÍA ERA MINHA... ENTÃO FOMOS COMO PLANEJADO,
( O TÍTULO VIRÍA A MOSTRAR O PODER DESSES BATISMOS... ),
APONTEI PRÁ MIM MESMO, ELES BALANÇARAM AS CABEÇAS.

O ADIDO DEU A ORDEM DE ATAQUE, NUM RAIO, SAÍ DISPARADO
COM A ARMA EM PUNHO, DESABALADA CARREIRA, SEM AVISO,
CARPINDO EM PULOS PELOS MUITOS OBSTÁCULOS PELO EIXO
CENTRAL DA ARENA ´´INDOOR´´ ( lembre-se: eram sacarias, latões,
feno no chão, barris, casinhas de madeirit, areia, pouca luz, milhares
de blisters de tintas explodidas como munição morta, colorindo tudo
).

30 METROS, EM LINHA RETA, ATIRANDO FEITO UM ALUCINADO.

FUI LIMPANDO O TERRENO, O INIMIGO NÃO ENTENDEU PORRA
NENHUMA, PUDE VER O OPONENTE NOS OLHOS, ESBUGALHADOS
ATRÁS DA VISEIRA DO CAPACETE PROTETOR, COMO SE DIZENDO
´´MAS QUE %$# É ESSA???´´, AS BALAS? 22, 17, 12, 09, 06, 04...

SÚBITO, AINDA SOZINHO, JÁ NO FINAL DO ´´SPRINT´´, ALGO ME
ACONTECEU, QUE NÃO CONSIGO PRECISAR MUITO EXATAMENTE.

COMO NA COXA DE UM ESPANTALHO ( SOMENTE COM UNS CAPINS
POR DENTRO DA CALÇA JEANS ), MINHA PERNA DIREITA ABRIU PARA
O MESMO LADO, NUM MOVIMENTO DE BONECO, ESCORREGANDO
SEM CONTROLE PELA PALHADA SECA, QUE FICA OLEOSA POR
CAUSA DA TINTA GOUACHE DAS BALAS JÁ EXPLODIDAS POR TUDO.

CAÍ ESPETACULARMENTE NA FRENTE DO PELOTÃO INIMIGO E,
COMO UM PATINHO NUMA LAGOA RASA, FUI FUZILADO COM MAIS
DE 40 DISPAROS, UMA CAMERA REGISTROU TUDO, GRAÇAS À
UM CINEGRAFISTA DE CONFLITOS ARMADOS, NO CASO, A PAUTA
DO PROGRAMA ´´FUI´´ DA MESMA TV À CABO ONDE ANCORO O
´´HABITAT´´, NAQUELE, CONVIDADO COMO MERA FIGURAÇÃO.

EXCITADOS COM MEU MASSACRE, O INIMIGO NÃO PERCEBEU
QUE EU ERA, DE FATO, O BOI E ELES, AS PIRANHAS, MINHA
EQUIPE AVANÇOU EM DOIS FLANCOS COMO QUE INVISÍVEL
E TOMOU A BANDEIRA DELES MAIS UMA VEZ E VENCEMOS
INVICTOS, EU,
SOB EFEITO DE ADRENALINA AINDA JORRANDO,
A TIBIEZA DO CROMOSSO ´´XY´´ NA FRENTE DA MATILHA URROU
MAIS ALTO E RESISTI COMO BOM SOLDADO, APESAR DE ESTAR
MORTALMENTE FERIDO, AINDA VIVO, ERAMOS SEIS, IGUAIS E
ELES, IDEM, PORÉM, TODOS MORTOS-VIVOS E HUMILHADOS.

JÁ SENTIRA O JORRO DA ADRENALINA ANTES, QUE NA GÍRIA EM
ALGUMAS TRIBOS DIZ-SE ´`DRENADO`` ( ADRENALINADO ), NUM
VÕO DUPLO DE ASA ASA DELTA ( já voei, durante uma aventura em
primeira pessoa pruma tal de ´´revista jovem´´, pulando lá de Atibaia,
já extinta... refiro-me a revista Wanted e não a cidade..bom, não sei...
),
MAS A SENSAÇÂO DE VITÓRIA COLETIVA É MESMO UM ORGASMO,
MAS, DIFERENTE DESTE, NÃO HÁ A RESOLUÇÂO, PARECE-SE
COM O TAL PLATÔ FEMININO, A EXCITAÇÂO PERDURANDO-SE...
NÃO SENTI NADA NA HORA, EXCETO UMA FACADA PROFUNDA.
INCHOU COMO UMA BOLONA DE BOLICHE. DIRIGI PRÁ CASA
ACELERANDO COM UM CABO DE VASSOURA. MANHÃ SEGUINTE,
CLAUDICANDO NO HOSPITAL ORTOPÉDICO, O MÉDICO ORDENA
À SENHORA ENFERMEIRA UMA PUNÇÃO, ONDE ELA CRAVA
UMA AGULHA VETERINÁRIA DE POLPUDAS DIMENSÕES AFRO-
PORNOGRÁFICAS NA TAL BOLA ESTUFADA E SANGRO QUAL
UM PORCO GORDO, O SUFICIENTE PARA ENCHER UMA LATINHA
DE CERVEJA, MOMENTOS ANTES, O ORTOPEDISTA TORCEU
PARA SAIR SÓ LINFA OU SORO, O QUE SERIA SINAL CLARO
NO EVITARMOS DE UMA ARTROSCOPIA, JÁ AGENDADA PARA
O MES DE ABRIL, O EMBATE DEVE IR AO AR DAQUI A ALGUNS
NA T.V. FECHADA, JÁ VÍ A PRÉVIA NA ILHA DE EDIÇÃO: PEDI
PRÁ CORTAR O BIZARRO MOVIMENTO DA PERNA, NEGARAM...
LEMBREI-ME DA POLÍCIA MILITAR, ADENTRANDO BECOS:
AUTORIZO-OS HOJE ? NÃO SEI. FELIZMENTE... SÓ DÓI, E
BASTANTE, QUANDO EU INSPIRO PROFUNDAMENTE, O
O QUE PODE ENSEJAR SÁDICOS E OS QUE ME ODEIAM
EM FAZÊ-LOS SORRIR, O QUE JÁ ME CONSOLA, POIS SÓ
UNS DOIS CARAS RECALCADOS EXERCITAM-SE NISTO.
DIAGNÓSTICO FINAL: CONCUSSÃO MECÂNICA NA CABEÇA
DA TÍBIA, FICA UMA CASCA RÍGIDA POR FORA COMO NUM
OVO, MAS A MEDULA SE LIQUEFAZ COMO UMA GELATINA.
HOMENS QUE CRUZO POR AÍ, ME PERGUNTAM: ´´FootBall?´´
EIS O QUE TENHO ESCUTADO, VINDO DE LÁBIOS MUITO MAIS
SORRIDENTES, SÃO DEZ, ENTRE CADA DEZ INTERLOCUTORAS,
APÓS O EVENTO QUE DEVE CONFIGURAR-ME AÍ, POR MESES:
´´-UAU! VOCE FICA SUPER-CHARMOSO COM BENGALA...´´
ESSAS MULHERES... ! ... ;)
CS-C
.....................................................................