24 de jul de 2007

TAM VÔO JJ 3054 AIRBUS A320 POA/CGN


TAM VÔO 3054
( TAM FLIGHT JJ 3054 POA CGN AIRBUS A320 PLANE CRASH on 07/16/2007: Thrust reverser ? )


REVERSOR DE TURBINA DO A320. Como Funciona? À julgar pelo quase pleno entendimento de um tsunami de letrinhas no código acima significam, já estamos em pleno Séc.XXI, mas com todo esse aero-jargão em voga nesses dias, não pude evitar um PQP !!! Explodiu um avião dos GRAAANDES em Congonhas !

Em que pese o bizarro tráfego de informações especulativas após um incidente trágico desses (normal e saudável pois ficamos TODOS sedentos de informação), eis que o ator principal de uma tragédia encenada dez anos atrás com 99 mortos na queda de um FOKKER 100 da TAM em 1996, decolando do mesmíssimo Congonhas, é sugerido no hall de suspeitas: REVERSOR DA TURBINA.

Pensei bizarrias outras: Os quase 200 mortos são ´anônimos´, o que não significa que devemos atenuar a tragédia. Se um ´famoso´ morresse, como a população e imprensa encarariam o fato?
Mamonas Assassinas Revival ?
E por quê, MEU DEUS, os quase 200 assentos não podem estar LOTADOS de políticos conhecidos ? Ou cair no Congresso ? De todo modo, eu choraria pela perda da Tripulação... Voltando ao tema:

O que é esse tal de Reversor da Turbina e como FUNCIONA um Reversor ?

Em inglês, o nome é thrust reverser e, no evitar das dúvidas que envolvem esse dispositivo, seguem dois infográficos, envolvendo também o fabricante das turbinas do FOKKER 100 ( Rolls-Royce TAI650 ) e do AIRBUS A320 do Vôo 3054 ( IAE V2500, joint venture da Pratt-Whitney com outras grandes aviônicas do ramo, como a General Electric ), ampliando o conhecimento específico dentro deste tema, no últimos dias, controverso.

Logo mais abaixo, apresento-lhe o Reversor da Turbina do FOKKER 100, lembrando que o ar é um fluído, assim como a água, então, no design deste dispositivo, a turbina inglesa utilizada pela fábrica holandesa patenteou um curioso sistema de ´pétalas´, mais ou menos como quando colocamos uma de nossas mãos prá fora de um carro em alta velocidade, onde sentindo a resistência ( e a existência do invisível! ) do chamado ´vento´.

Há dez anos, essas Duas Pétalas dispararam e abriram subitamente em pleno vôo sem serem solicitadas, disparando alarmes na cabine logo após o recolhimento do trem-de-pouso do FOKKER 100 Vôo 402 da TAM ( Fokker 100 Flight 402 crash down near CGN in 1996: Thrust reverser deployed after departure ), descontrolando-o e derrubando o aparelho sem a menor chance de comando possível, uma vez que o reversor da turbina funcionou criminosamente durante a primeira, da segunda mais crítica das manobras aéreas: A Decolagem.

A segunda das manobras aéreas e a primeira mais crítica? O Pouso.



REVERSOR DA TURBINA DO FOKKER 100
A turbina TAI650 feita pela Rolls-Royce fica acima da
asa, na linha das janelas,
próxima ao início da área do leme na
cauda, instalada em dupla na fuselagem
e nesse sistema, 100% do fluxo vindo de dentro das turbinas é redirecionado.

CLIQUE NA IMAGEM ou ANALISE ESTE INFOGRÁFICO NO ORIGINAL EM:
http://www.coroflot.com/public/individual_file.asp?from_url=true&portfolio
_id=592078&individual_id=117258&sort_by=1&


Logo mais abaixo, eis o Reversor da Turbina do A320 , a V2500 feita pela IAE, usando a comparação anterior com a água (o ar é um fluído), no design deste equipamento a turbina norte-americana instalada pela montadora francesa patenteou um sistema de válvulas, mais ou menos como são as comportas de nossas hidrelétricas, desviando o fluxo em outra direção.

Essas ´comportas em miniatura´ servem auxiliarmente como são nossos freios-de-mão num carro, podendo até mesmo movimentar as 27 toneladas da aeronave em marcha-á-ré num taxiamento feito ao nível do solo, manobra terminantemente proibida nos manuais da Airbus.

De todo modo, a tragédia em São Paulo parece -até o momento- estar ligada mais às condições físicas da pista e da meteorologia dramática de uma região sub-tropical no instante do pouso e não ao reversor da turbina, o tal de, agora voce já sabe, Thrust Reverser.

Pensando das multiplicidades, os ferroviários das antigas tinham um ditado sinistro: ´´Acidentes sempre vem em três´´. Profunda sabedoria, sem computador algum.

No mais, o A320 prefixo PR-MBK sinistrado estava´pinado´ no jargão dos aeronautas ou seja, voando com o reversor da turbina lacrado, procedimento considerado normal pela montadora multinacional com sede francesa, mas, especulando, bem que fez falta.

E tem mais: o apelido de Congonhas entre pilotos é de PORTA-AVIÕES: Fica bem alto acima do nível do ´´chão´´, a Pista é bem curta, quando chove o Deck fica escorragadio e é rodeado por um MAR de prédinhos, casas apertadas sem recuo, gente e tráfego urbano pesado, impensáveis em sua inauguração, fruto da falta de planejamento de décadas.

Como informação sempre é bom, confira as diferenças de uma, das mais de 140.000 peças de um monstrão desses, dá até prá voce discutir mais o assunto REVERSOR DA TURBINA ( Thrust reverser A320 ) com seus conhecidos, confira:



REVERSOR DA TURBINA DO AIRBUS A320
A turbina V2500 feita pela IAE fica aparafusada abaixo da
linha da asa
e funciona como num secador de cabelos que desviasse o sôpro mas,
nesse design, parte do fluxo segue por trás, sem desviar pelo reversor.


CONFIRA ESTE INFOGRÁFICO NO ORIGINAL EM:
http://www.coroflot.com/public/individual_file.asp?from_url=true&portfolio
_id=592080&individual_id=117258&sort_by=1&
_______________________________________________________________________________________

Airbus A320 thrust reverser
TAM FLIGHT JJ 3054 POA CGN PLANE CRASH on 07/16/2007
_______________________________________________________________________________________

UMA CURIOSIDADE: ASSISTIDA POR MEIO MUNDO, O POUSO DE UM AVIÃO
DA JETBLUE AIRLINES, NO AEROPORTO DE LOS ANGELES, ONDE O TREM-DE-
POUSO DIANTEIRO FICOU DESALINHADO E COMPLETAMENTE FORA DO EIXO,
O EQUIPAMENTO TAMBÉM É UM AIRBUS A320, IDÊNTICO AO PR-MBK VÔO 3054 :


FAÍSCAS SAINDO DO TREM-DE-POUSO DESALINHADO NO POUSO EM
LAX DO VÔO 292 DA JETBLUE AIRLINES; ESTA EMPRESA OPERA 286
VÔOS/DD E POSSUI CÊRCA DE 81 AERONAVES DO TIPO AIRBUS A320.


AIRBUS A330: 600 deles, voando pelo planeta Terra

O A330 é bastante similar à um equipamento A320, pois comunga da mesma concepção, mas embarca o dobro de passageiros (150...x...293 assentos) e com o triplo de peso (43...x...120 Toneladas).

A diferença crucial entre ambos, reside nas suas duas turbinas CF6-80E do A330-200 bem mais potentes, concebidas pela divisão aeronáutica da General Electric.

Essa nova configuração, permite às companhias acomodar adicionalmente, mais 14 passageiros e suas respectivas bagagens à bordo, ao custo médio de U$800, são mais U$11.200 por vôo, numa ponte aérea Rio-Paris, por exemplo.

São propulsores mais econômicos, o que permite que seus imensos tanques nas asas com 60m de envergadura, sejam abastecidos com menos gasolina, tornando a operacionalização completa do custo da aeronave mais modesta, comparando ao peso total de serviço, que um avião precisa para voar em segurança.

Em tese, decolando com menos combustível, ele fica mais leve e voa bem melhor, análogo em se viajar com um automóvel com menos "bagagem" à bordo, porém com o total de passageiros, diluindo o custo pelo maior número de bilhetes vendidos no vôo, de onde advém, em suma, o lucroi das empresas de aviação.

Tanta tecnologia, e ainde temos as mesmíssimas operacionalizações das ferrovias: A venda de uma cadeira, para o seu usufruto pessoal, durante a duração do trajeto, seja para onde for...



AF 447 da Air France A330-200 F-GZCP