14 de mai de 2009

É PRECISO TER FÉ....


Essa aqui, eu recebi ainda ontem...
Rí tanto, mas taaaaanto, que peguei a foto original da menininha contrita do e-mail e a remontei esse JPG aí de cima, com a elegante fonte Papirus.TTF.

O engraçado, é essa onipresença feminina, borboleteando o universo masculino.

(PQP!!!!!! "BORBOLETEANDO"???? Isto ficou MASTER-GAY! )

Dos caras que conheço (excessão feita aos "esquisitos", oras, eles tem lá seus gostos, dos quais sempre os respeitei, apenas não os comungo, e não me venha com essa de "S" de "Simpatizante" Não se trata disto: Acho tudo normal, seja lá o que for...), todos nós, teremos a nossa providencial Pasta Secreta!

Que nem Secreta de verdade ela é, esteja ela acondicionada no imóvel PC ou no móvel Notebook.

Aliás, a minha se chama ARS NUDE, sacomé, dá um ar intelectual... ;)

Às vezes, fico me perguntando...

... se é que as mulheres ficam se perguntando, dos por quês de nós, homens, termos essa coleção ou guarda, de (prá ser mais direto) "mulheres peladas", das quais, curiosamente, não temos a MÍNIMA NOÇÂO de quem sejam tais moças e senhoritas.

Sim, não temos A MÍNIMA NOÇÂO de quem elas são!

Só um iletrado, deslumbrado ou caipira mental, diria:
"SIM, CLARO QUE EU CONHEÇO A JULIANA PAES!!!"...

Mas o que esse energúmeno quer mesmo dizer, é:
"ÔU, CLARO QUE EU SEI QUEM ELA É, CARALHO...".

Mesmo o cretino não sabendo piciricas de fato dela, muito menos quem ela é de verdade, pois, o que queremos NÃO DIZER, é exatamente isso:
"EU SEI QUE ELA EXISTE"...

Bom, nunca fui perguntado disto, mas em sendo e, supondo, que só pudesse responder, dizendo tudo de forma muito franca, sintática e sintética, seria EXATAMENTE assim:

...POR QUE É MUITO GOSTOSO!

É verdade que nenhum de nós, sim, nós não as conhecemos.

Mais verdadeiro ainda, que, nem em um bilhão de anos-luz, as conheceriamos ou, sequer, chegariamos perto delas e, mesmo chegando, caralho, são "apenas" mulheres...

Mais estranho ainda, é que muitas, centenas delas, estão, inclusive, mortas!

Enterradissimas da silva, pois o acervo de imagens vai se sobrepondo, então, temos arquivos JPG em P&B, de mulheres EXTINTAS!

Das Musas Públicas Européias (Anos-luz à frente das toscas norte-americanas) e "fácinhas", clichées mesmo, já fui bem maluco pelas seguintes moçoilas, hoje, vestustas senhôuras:

A francesa Jaqueline Bisset, antes e depois ...


A inglesa Charlotte Rampling, antes e depois ...


... também inglesa, Kelly LeBrock, antes e depois ...


... e essa, a também inglesa Christie Turlington, ontem/hoje ...


Tá, BEM que La Turlington -esse "La", ficou ESQUISITO, heim?- podia tirar aí, uns 13Kg da LeBrock!

Aliás, Miss Christie até que se parecia com uma moça de Londrina (que morava em Pinheiros/SP) e eu nunca a mais vi, quando ainda estudante de Arquitetura..

E eu nem enxergva essa tal. (A Christie Turlington, não a Moça de Londrina de Pinheiros/SP!)

Aprendi a aprecia-la, por causa do Franz Paulo Trannin da Matta Heilborn.

SIM, o Paulo Francis. ELE MESMO! Sempre que tinha a oportunidade, ele tascava o nome da criança e, observando-a de longe , BEM DE LONGE, passei à comungar das opiniões dele, mais por chiste, do que realidades, até por que, só vim a ver uma foto de quem era a inglesinha, bem uns 20 anos depois, para o meu mais absoluto divertimento!

Bom, eu a ví sim (a Moça de Londrina de Pinheiros/SP, não a Christie Turlington...), no Bar Brasil, mas por algum motivo cardíaco, meus batimentos nem tchuns e, ademais, ela estava numa mesa com amigos, muito da animada! Nada a ver eu ir até lá e falar um "Ôi!"... Ela era só uma moça legal, amiga de uma amiga e que ficamos conhecidos e, como convém às urbanidades, nos sumimos um ao outro.

Agora, é um fato esse, mórbido, sem dúvidas, o de gostarmos de mulheres já mortas (voce ENTENDEU...) o qual não atenua (pasmem...) o des-espero de nossas Amadas.

As quais, SIM SENHORES, permanecem tão preocupadas (as nossas, VIVAS), como se todas elas (as deles, MORTAS) fossem nossas erotizadas Vizinhas!

Disponiveis, solitárias, carentes, sexies e safadas até não mais poder, vestidas em trajes impróprios para a luz do dia, entrevendo nacos sutís de lingeries sumárias, com apropriadas e bem-endereçadas translucidezes.

O que eu afirmaria (sem qualquer possibilidade de hipocrisia ou chauvinismo), é que:

Aos olhos de um Homem, a aparição de uma mulher nua (real, ilustrada, em calendário, pintada à oleo sobre canvas, fotografada ou em píxeis ou na TV), nos esboça um sorriso indescritível, sincero, honesto, natural...

E O MELHOR DE TUDO ISSO, NESSAS VISÕES:

Não há vestígios evidentes, explícitos, de MODA!

Niente de Píu, de coisas FÉXOM (fashion)!

De extremadíssimas PRODUÇÕES!

Ou, em se tendo, são de uma sutileza exemplar, dignas de investigadores do ramo, em comparação com os dias bizarros de hoje, onde temos (E VEMOS!) estudantes pós-adolescentes, vestindo-se como Vadías de Déiz Reáu, enquanto as prostitutas de ofício e expediente, vestem-se quais donas-de-casa, esperando o ônibus -o qual nunca vai passar- no ponto.

A nudez, adequada, apropriada, ainda que consentida com um único clique, nos brinda com um sorriso, que nos ilumina a face e a mente, ativa a circulação (isto foi compovado!) e melhora o nosso dia.

Exatamente como acontecem nas fábulas, a varinha de condão tocando a cabeça de alguém e, PLIM!, tudo fica mais colorido, perfeito, admirável, aliás, o clichée surgiu, sem dúvidas, desse "entusiasmo químico", pois as tais varinhas, eram apenas para se acelerar um determinado sentimento ou sensação.

"HUMANO. DEMASIADAMENTE HUMANO!"

Aliás, sentimos o mesmíssimo sorriso que experimentamos com nossas Amadas, ao vivo ( somente se as escolhemos de fato e não por outros interesses escusos), quando elas mesmas nos propiciam tais delícias ou nós mesmos as, digamos assim, as providenciamos.

A Evolução, que coisa, caminhando por caminhos interessantíssimos!

O que compreendo é que, tudo isso, trata-se de uma estratégia assustadoramente bem-sucedida, de perpeturamos nossas existencias no planeta.

Até as Escrituras decodificaram o impulso natural, com a frase:
"Crescei, Multiplicai-vos e Encheis a Terra".

Playboy, Soutiens, Espartilhos, Meias-Finas, Maquiagem, Decotes, Mini-Saias, Batons, Perfumes, Transparências, Pin-Ups, Bisset, ,Turlington, Paes, Saltos, Rendas...

Resumiria tudo, á um saudável e delicioso mecanismo para, após tamanha atração, de engravidarmos uma moça bem bacana e com quem nos afeiçoaremos muito, prá termos filhos e filhas ainda mais bacanas, nesses quais a gente se afeiçoasse a eles e elas ainda mais e, assim termos -e mantermos- uma familia super-bacana!

Parecería simplismo, reducionismo e "cientifiquismo", até por que, casais do mesmo genero também constituem suas famílias, praticando sexo, viajando, estudando, vivendo ("-Óh! O HORROR! Mas eles fazem tudo isso????") e esse "mecanismo" que falo aqui, poderia, nesse caso específico, não atuar ou ao menos, ser sublimado por outros comportamentos.

Mas a(s) verdade(s), costuma(m) ser de uma simplicidade absurda... ;)

.

Prá finalizar, o que será daquela vadía de déiz reau, cujo nome é uma logomarca composta situada entre uma deslumbrante cidade francesa e uma rede hoteis norte-americanos?

Será que Paris evoluiría, até ficar parecida com o Owens? :D

Um comentário:

  1. "Caprichar" não era bem isso mas, como não censuramos comentários de terceiros, paciencia.

    Ainda mais, por não ser "Covarde"... ;)

    ResponderExcluir

Capriche. Não curto Anônimos, mas costumo perdoar os Covardes. (Às vezes, me sinto covarde, então...)